Tudo 2! Assaltante morto no Engenho da Federação ostentava dinheiro e vida de luxo

O Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) da Polícia Civil localizou, na madrugada desta sexta-feira (22), Igor Alves Andrade, o ‘Pedrita’, alvo prioritário da Secretaria da Segurança Pública e considerado o principal assaltante de carros-fortes em Salvador. Equipes da Coordenação de Operações Especiais (COE) deram apoio nas diligências.

Com mandado de prisão em aberto e foragido da Justiça, Pedrita voltou a Salvador, segundo informações iniciais, para planejar e executar novas investidas contra empresas de valores.

Ciclone tropical deixa Bahia em alerta

O tempo passou a ficar bastante instável nas últimas horas sobre áreas da região produtora do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) com o avanço de uma frente fria após dias de tempo firme. No entanto, os próximos dias ainda dever ser de muita chuva com a possibilidade de formação de um ciclone tropical.

O sistema pode se formar nos próximos dias entre os estados da Bahia e Espírito Santo. Nessas localidades, já há alerta do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) de chuvas intensas e altos acumulados ao longo desta sexta-feira, mas com a possibilidade do ciclone a condição pode ser ficar severa.

Mulher morre após cinco horas de ‘sexo intenso’ sem interrupção

Uma mulher de 32 anos morreu, na Colômbia, após passar mal depois de cinco horas ininterruptas de “sexo intenso”. Segundo o jornal La Republica, a vítima, que foi identificada apenas como “A Fera”, sofreu um ataque cardíaco.

O caso aconteceu em um motel na cidade de Cáli. O companheiro da mulher, que não teve nome divulgado, chamou o serviço de emergência. No entanto, devido à demora do socorro, ele a levou para a emergência de um hospital universitário. A vítima já chegou à unidade de saúde morta.

De acordo com informações da polícia, o casal havia usado drogas para prolongar a relação sexual.

Após beijo de adulto, bebê de 1 ano pega herpes e é internado

bebe-herpes / Foto: Facebook

A britânica Amy Stinson, mãe do pequeno Oliver, de 1 ano e 3 meses, levou um tremendo susto ao ver a pele de seu filho toda empolada e cheia de lesões. Preocupada, a mulher levou a criança ao hospital e recebeu uma notícia nada agradável: Oliver contraiu o vírus do herpes após receber um beijo de algum adulto com a doença.

Salvador recebe imersão em hipnose clássica com RAFAEL KRAISCH, um dos maiores instrutores do Brasil.

Nesta imersão o participante vai conhecer, entender e praticar o que realmente funciona da hipnose clássica, tanto na rua como no palco ou no consultório que, por sinal, este último é o mais difícil.

Descubra os atalhos, as melhores induções, rotinas, técnicas e práticas mais poderosas da hipnose com um dos profissionais mais capacitados na área de Hipnoterapia. Conheça o que funciona, o que não funciona e os porquês mais importantes para conseguir hipnotizar.

‘Usou cola comum para fechar feridas’, diz jovem espancada por namorado em Camaçari

Estudante foi mantida em cárcere privado por 6 meses: ‘ele chegou a beber meu sangue de uma das porradas que me deu’

As tatuagens no braço direito da estudante Deisiane Souza Cerqueira, 18 anos, não foram as únicas marcas deixadas no corpo dela pelo tatuador Marcos Alexandre da Silva, 35, com quem havia iniciado o namoro há oito meses, em Camaçari, Região Metropolitana de Salvador (RMS).

Ele também deixou nela o rosto desfigurado e cicatrizes espalhadas no pescoço, costas e pernas, fruto de sessões diárias de murros, facadas, queimaduras de cigarro, mordidas e outras agressões físicas, que começaram logo após os dois primeiros meses da relação. Deisiane ainda sofreu tortura psicológica: durante os seis meses em que foi mantida em cárcere privado, foi ameaçada de morte diariamente.

Bahia lidera ranking de mortes de crianças e adolescentes por arma de fogo

Dados da Sociedade Brasileira de Pediatria mostram 13.813 casos no estado em 20 anos

A Bahia lidera o número de crianças e adolescentes mortos no país por arma de fogo de 2009 a 2016, segundo um estudo divulgado nessa quarta-feira pela Sociedade Brasileira de Pediatria. No período de 1997 a 2016, foram registrados no estado 13.813 casos, nos quais as vítimas tinham entre 0 e 19 anos. Esse total coloca a Bahia como o primeiro estado do Nordeste com mais mortes desse tipo e o terceiro em todo o país.

A Bahia perde apenas para São Paulo que registrou nesses 20 anos 21.864 mortes de crianças e adolescentes por arma de fogo, e para o Rio de Janeiro, com 19.220 casos.

“Dentre os estados, a situação mais preocupante atinge a Bahia, que desde 2009 lidera o ranking nacional, com o maior número proporcional de óbitos de crianças e adolescentes por arma de fogo. Em 2016 (ano mais recente disponível), 14% das mortes registradas no país com essa causa ocorreram naquela unidade da federação”, informou a entidade, em material  ivulgado em seu site.

O levantamento mostra que, a cada duas horas, uma criança ou adolescente dá entrada em um hospital da rede pública de saúde no país com ferimento por disparo de arma de fogo.

Ainda com relação a internações, os dados revelam também maior concentração de casos provocados por armas de fogo nas regiões Nordeste e Sudeste, cada uma com 36% das hospitalizações no Brasil. Dentre os estados, São Paulo e Rio de Janeiro se destacam nesse aspecto, com 14% e 12% das internações, respectivamente.

Por sua vez, a Bahia – líder no ranking de mortalidade – divide a terceira posição com o Ceará, com 10% das ocorrências cada.

A cada 60 minutos, uma criança ou um adolescente morre no Brasil em decorrência de ferimentos por arma de fogo. Entre 1997 e 2016, mais de 145 mil jovens com até 19 anos faleceram em consequência de disparos acidentais ou intencionais.

Ainda de acordo com o estudo, que considerou dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde, em 2016, foram registrados 9.517 óbitos entre crianças e adolescentes no país. O número é praticamente o dobro do identificado há 20 anos – 4.846 casos em 1997 – e representa, em valores absolutos, o pico da série histórica.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA) informou que não teve acesso nem foi comunicada sobre o estudo.