Vídeo mostra PM sendo assassinado durante assalto, suspeito já está preso

Já está preso um dos assaltantes suspeito de envolvimento na morte de um policial militar neste fim de semana, em Fortaleza. A arma do militar que havia sido roubada também foi recuperada num cerco realizado por policiais militares e agentes da Coordenadoria Integrada de Inteligência (Coin), da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). … Leia Mais




VÍDEO: Caminhonete é engolida pelo mar no interior da Bahia, assista

750_2017428122838Um deslize de um motorista resultou em prejuízo. Isso porque sua caminhonete foi engolida pelo mar na praia de Japara Mirim, no município de Prado, no litoral do Extremo Sul da Bahia.

A suspeita é que o proprietário do veículo tivesse estacionado em um local irregular, muito próximo da água. Quando a maré subiu, acabou levando o carro. O fato aconteceu na tarde desta quinta-feira, 28. Veja o vídeo:

Fonte: A Tarde / Prado Notícias.


VÍDEO: Policiais invadem Congresso Nacional em Brasília em ato contra reforma da Previdência, assista

protesto-camara-01
Policiais civis, rodoviários e federais de vários estados e do Distrito Federal protestaram na tarde desta terça-feira (18), em Brasília, contra a proposta de reforma da Previdência. Durante o ato, um grupo de policiais tentou invadir a chapelaria do Congresso Nacional. Houve tumulto, e vidraças do prédio foram quebradas. Imagens feitas no local mostram que a Polícia Legislativa usou spray de pimenta e bombas para dispersar o conflito. Até as 16h, não havia registro de feridos.

 

Segundo a Polícia Militar do DF, havia cerca de 1 mil policiais no gramado em frente à sede do Legislativo, no momento da confusão. Responsável pela convocação do ato, a União de Policiais do Brasil estima que um grupo de 100 a 150 policiais chegou a entrar na área privativa do Congresso. O tumulto começou quando esse grupo de manifestantes desceu até a chapelaria – rota de acesso de visitantes e parlamentares. A Polícia Legislativa tentou bloquear a entrada, mas o grupo quebrou os vidros e invadiu pelos espaços abertos. Assista:



Assista ao vídeo de lançamento dos mísseis dos EUA contra base militar da Síria em resposta ao ataque químico

7abr2017---imagem-fornecida-pela-marinha-norte-americana-mostra-lancamento-de-missil-a-partir-destroyer-americano-em-ataque-a-base-aerea-siria-1491536020675_615x300
Horas após o presidente Donald Trump admitir retaliar a Síria pelas recentes ações do regime de Bashar al-Assad, o Exército dos EUA fez sua primeira incursão militar contra o governo durante a guerra civil na madrugada de sexta-feira (horário sírio). Dezenas de mísseis foram lançados contra a base militar de onde teria partido o ataque químico que deixou ao menos 86 mortos na segunda-feira. A Rússia, aliada do regime, foi avisada do ataque, revelou o Pentágono.

Segundo altos funcionários, o Exército lançou 59 mísseis Tomahawk a partir de destróiers estacionados no Mar Mediterrâneo, mirando um único destino — Ash Sha’irat, na província de Homs, de onde informações de Inteligência apontam que veio o ataque químico. Foram atingidos por volta de 3h45m a pista, aeronaves e depósitos de combustíveis, segundo altas fontes militares. Hoje à noite eu pedi um ataque militar direcionado numa base aérea na Síria, de onde o ataque químico foi lançado.

É neste vital interesse de segurança nacional dos Estados Unidos prevenir e dissuadir a propagação e o uso de armas químicas mortais — afirmou o presidente durante um encontro com o homólogo chinês, Xi Jinping, em seu resort de Mar-a-Lago, na Flórida. — Nesta noite, apelo a todas as nações civilizadas para que se juntem a nós na busca para acabar com o massacre e o derramamento de sangue na Síria, e também para acabar com o terrorismo de todos os tipos e de todos os tipos.

Esta é a ação militar mais dura do governo Trump, vindo após uma serie de consultas com congressistas em privado. O governo de Barack Obama havia ameaçado rebater Assad militarmente após outros episódios de ataques químicos atribuídos ao regime, mas nunca concretizou as declarações. A Rússia, que apoia Assad, foi avisada do ataque. Segundo o Pentágono, os russos receberam a advertência para que soldados que pudessem estar em Ash Sha’irat saíssem do local. “A agressão americana atingiu alvos militares sírios”, mostrou uma chamada da TV estatal síria durante a madrugada.

Horas antes, a Rússia advertiu os Estados Unidos que o país poderia ter “consequências negativas” se lançar uma ação militar contra a Síria, após uma reunião do Conselho de Segurança da ONU. Se houver uma ação militar, toda a responsabilidade recairá sobre os que tiverem iniciado uma empreitada tão trágica e duvidosa — declarou o embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, na saída da reunião. Mas o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, foi além: Moscou foi ou complacente ou incompetente em lidar com os sírios. Assista o vídeo: