Neva dois dias seguidos em praia, como previu profecia apocalíptica de Nostradamus

salento-12

O profeta Nostradamus italiano, Matteo Tafuri, fez uma previsão apocalíptica há 500 anos. Ele afirmou que o fim do mundo estaria bem próximo quando nevasse dois dias seguidos em uma praia da cidade de Salento, que fica na Itália.

A profecia diz: “Salento, de palmeiras e vento sul moderado. Dois dias de neve, dois relâmpagos no céu. Eu sei que o mundo acaba, mas não sentirei saudade”.

❄ You can’t cross the sea merely by standing and staring at the water ❄

Nos últimos dias 8 e 9 de janeiro, a profecia se concretizou e nevou na praia de Selento. A mudança no clima na cidade, cujo clima é tipicamente quente, pegou os moradores de surpresa, que publicaram fotos do momento. Foi a primeira vez na história que nevou na praia.

O profeta italiano Matteo Tafuri viveu entre os anos  1492 e 1582 e era também especialista em filosofia e cientista natural.


Fim do mundo ocorrerá com eclipse solar em agosto, segundo nova profecia

fim-do-munndo
Foto: Reprodução / Mega Curioso

O fim do mundo já tem nova data para acontecer: 21 de agosto deste ano, quando o planeta Terra presenciará um eclipse solar. A nova data está em conformidade com uma profecia cristã, de acordo com o site Mega Curioso, segundo a qual o fim do mundo começou com a criação de Israel, em 1947. Setenta anos depois, é o momento de colocar o ponto final nessa humanidade, já que 70 é um número sagrado que aparece nos Salmos definindo uma “geração bíblica”. Michael Parker, estudioso da Bíblia, foi a primeira pessoa a prever o novo apocalipse, divulgando suas conclusões em 2015. Desde então, outros grupos religiosos concordaram que o planeta Terra não passaria de 2017. Ainda conforme a teoria, neste ano começará o período de 2.550 dias da Tribulação, em que a humanidade passará por dores e sofrimentos que resultarão no arrebatamento de fieis.


Criança mata prisioneiro em vídeo divulgado pelo Estado Islâmico

isis-2

Uma criança bem pequena aparece atirando contra a cabeça de um prisioneiro em um vídeo chocante divulgado pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI), neste domingo. De acordo com informações do jornal britânico “Daily Mail”, a gravação pode ter sido feita no Iraque, onde os miliantes da organização jihadista tem perdido espaço por forças do governo local. No vídeo, o menino, que aparenta ter cerca de 4 anos, acompanha um homem até o local onde o prisioneiro está preso. A criança, então, usa uma pistola para atirar contra a cabeça do homem.

(mais…)


Relembre os maiores sucessos de George Michael, ícone gay que morreu aos 53 anos

gm

O cantor George Michael,  símbolo das causas LGBTs dos anos 80/90, morreu aos 53 anos na noite deste domingo (25). Desde quando estreou na banda Wham!, George  ganhou o estrelato. Nascido em Londres, Georgios Kyriacos Panayiotou  vendeu ao longo de uma carreira de quase quatro décadas mais de 100 milhões de discos. Ele ficou no Wham! até 1986.

Em comunicado, o publicista do cantor pediu privacidade para a família. “É com grande tristeza que confirmamos que nosso amado filho, irmão e amigo George morreu tranquilamente em casa no período de Natal. A família gostaria de pedir que a privacidade deles seja respeitada nesse momento difícil e emocional. Não haverá mais comentários neste momento”.

(mais…)


Asteroide poderia extinguir humanidade, e a Nasa não sabe como nos proteger

asteroide-colisao-terra-astronomia-1481727749745_615x300
Foto: Divulgação

Um dos maiores medos dos terráqueos é o de que um objeto vindo do céu caia sobre nossas cabeças. E não adianta pensar que a tecnologia espacial já evoluiu o bastante para nos proteger. Segundo astrônomos, caso um grande asteroide seja detectado em direção à Terra, não haveria nada que pudesse ser feito hoje em dia.

Os pesquisadores possuem diversas estratégias no papel. O difícil seria colocá-las em prática em momento de emergência. “No momento, não há nenhuma tecnologia em meio a um monte de coisas que pudesse ser utilizada”, disse Joseph Nuth, do centro espacial Goddard, da Nasa, em um encontro que debateu o tema em San Francisco, nos EUA.

Segundo os astrônomos, grandes asteroides, com o poder de acabar com a civilização na Terra, são extremamente raros. A probabilidade de um deles atingir a Terra é de uma vez a cada 50 ou 60 milhões de anos. Contudo, o objeto que exterminou os dinossauros se chocou contra a Terra há 65 milhões de anos. Pensando assim, o próximo que teria a Terra como alvo já estaria atrasado.

(mais…)