during the FIFA U-20 World Cup Semi Final match between Brazil and Senegal at Christchurch Stadium on June 17, 2015 in Christchurch, New Zealand.
Gabriel Jesus.

O Brasil é o novo líder das Eliminatórias sul-americanas da Copa do mundo 2018. Em jogo realizado nesta terça-feira (11), o selecionado verde e amarelo derrotou a Venezuela por 2 a 0 e se aproveitou de tropeços do Uruguai e Argentina para assumir a ponta da classificação para o Mundial de Futebol. Com 21 pontos, a Seleção chegou a sua sexta vitória na competição, quarta sobre o comando do treinador Tite.

A Seleção não teve dificuldade alguma para abrir o marcador. Aos oito minutos do primeiro tempo, o goleiro Hernández errou na saída de bola e encontrou Gabriel Jesus a sua frente. O atacante, de forma tranquila, deu um toque de cobertura e apenas correu para o abraço.


001

O jogo entre Argentina e Brasil, no Monumental de Nuñez, marcado para a noite desta quinta-feira (12) foi adiado para esta sexta-feira (13), às 22 horas (de Brasília), por conta das fortes chuvas. A informação foi divulgada pelo quarto árbitro, o argentino Carlos Magno. A seleção brasileira queria entrar em campo, mas prevaleceu a preferência dos argentinos em adiar o embate.
A previsão em Buenos Aires para a sexta-feira é de chuva moderada. Houve uma reunião com representantes das duas seleções antes da confirmação de que o duelo seria adiado.

“Tivemos uma reunião, conversamos. Não tem condições. Não teria sentido deixar o público chegar para depois voltar. De comum acordo, decidimos fazer o jogo amanhã no mesmo horário. Vamos ter que adaptar, temos criatividade. Vamos readaptar algumas coisas.”, disse o coordenador de seleções Gilmar Rinaldi, ao SporTV.
Chove desde o início da tarde na capital argentina, com intensidade de moderada a forte. Mas, menos de duas horas antes do jogo, a drenagem do gramado não suportou a grande quantidade de água e o campo virou uma ‘piscina’. As ruas no entorno do local da partida ficaram alagadas.


LogoCBF_CAPA

O Corinthians, que está cada vez mais perto do título do Brasileirão 2015, perdeu quatro titulares para a partida contra o Vasco, no dia 18 de novembro. Mas, não foi por lesões ou suspensões.
O goleiro Cássio, o zagueiro Gil, o volante Elias e o meia Renato Augusto foram convocados por Dunga para os jogos da Seleção Brasileira contra Argentina e Peru, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.
As convocações deixaram a entidade preocupada com a possibilidade de prejudicar o time paulista. Por isso, a CBF admitiu nesta quinta-feira (22) que cogita mudar a tabela da Série A.
“Realmente, vamos conversar com o departamento que cuida dessa parte. Sempre a gente quer ajudar os clubes brasileiros. Entendemos as dificuldades, mas temos que pensar no melhor para a seleção. Dunga entendeu que o melhor era a convocação. Agora, vamos tratar a segunda questão”, disse o coordenador de Seleções, Gilmar Rinaldi, em entrevista à ESPN.

Dunga

O técnico da Seleção Brasileira, Dunga, convocou 23 jogadores para as partidas das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 contra a Argentina, dia 12 de novembro, em Buenos Aires, e dia 17 de novembro contra o Peru, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O anúncio foi feito na manhã desta quinta-feira (22), no auditório da sede da CBF.

Goleiros:

Jefferson – Botafogo

Alisson – Internacional

Cássio – Corinthians

Laterais

Danilo – Real Madrid

Daniel Alves – Barcelona

Filipe Luís – Atético de Madrid

Marcelo – Real Madrid

Zagueiros

David Luiz – PSG

Miranda – Internazionale

Marquinhos – PSG

Gil – Corinthians

Meias e atacantes

Luiz Gustavo – Wolfsburg

Fernandinho – Manchester City

Elias – Corinthians

Renato Augusto – Corinthians

Oscar – Chelsea

Lucas Lima – Santos

Willian – Chelsea

Kaká – Orlando City

Atacantes

Douglas Costa – Bayern de Munique

Neymar – Barcelona

Hulk – Zenith

Ricardo Oliveira – Santos


Brasil e Chile
(Foto: AFP)

O Chile venceu o Brasil por 2 a 0 na noite desta quinta-feira (8), em Santiago, pela estreia da seleção nas Eliminatórias da Copa. Acuado no segundo tempo, o Brasil viu a festa da torcida chilena, com direito a “olé” nos momentos finais da partida. Foi a primeira derrota do Brasil em estreias nas Eliminatórias – e somente a segunda para o Chile. Com o triunfo, a seleção chilena quebrou um tabu de 15 anos sem vitórias contra o Brasil.

O Estádio Nacional de Santiago não viveu grandes emoções no primeiro tempo. Numa partida amarrada, o Brasil teve atuação sólida, especialmente na defesa, e conseguiu anular as principais peças ofensivas chilenas. Por outro lado, os comandados de Dunga não conseguiram transformar a relativa soberania em chances claras de gol, criando muito poucas oportunidades. A melhor de todas foi justamente da Roja, que carimbou a trave direita de Jefferson com Alexis Sanchez.

No segundo tempo, o panorama mudou. O Chile voltou melhor e Dunga demorou a mexer, permitindo que o adversário se acertasse em campo. A bola na trave de Isla aos 10 minutos foi um prenúncio do que estava por vir. Aproveitando-se bem das falhas defensivas e da falta de ímpeto ofensivo brasileiro, o Chile achou o caminho do ouro. O primeiro gol saiu aos 27, quando Eduardo Vargas se antecipou à marcação para completar de cabeça uma cobrança de falta. Jefferson ainda encostou na bola, mas não conseguiu evitar o 1 a 0.

Aos 45, quando a torcida já cantava vitória, satisfeita com o placar, o Chile encaixou um conta-ataque que lembrou os melhores momentos da seleção implacável que conquistou a Copa América. Partindo em bloco para a ofensiva, o time da casa deixou a marcação brasileira perdida. Vidal invadiu a área pela esquerda, esperou a saída de Jefferson e, sem egoísmo, rolou para Alexis Sanchez, que entrou com bola e tudo: 2 a 0 e gritos de ‘olé’ liberados. (Correio)


Foto: Rafael Ribeiro / CBF
Foto: Rafael Ribeiro / CBF

No primeiro amistoso da série, no último final de semana, ele ficou apenas no banco de reservas. Na noite desta terça-feira (8), contra os Estados Unidos, o craque Neymar não só entrou no decorrer do jogo como, no segundo tempo, foi o responsável por comandar a goleada do Brasil sobre a equipe norte-americana por 4 a 1.


images (2)
Reprodução Google

A seleção brasileira vai enfrentar a Argentina em novembro, fora de casa, pela terceira rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. O sorteio será realizado apenas neste sábado, mas pelos procedimentos aprovados na manhã desta sexta-feira, após reunião do Comitê Organizador em São Petersburgo, na Rússia, já é possível adiantar que as duas principais potências do continente se enfrentarão na Argentina, neste ano.

A Fifa divulgou a tabela prévia, com os times ainda simbolizados por códigos: Time 1, Time 2, e assim por diante, até o Time 10. São as 10 seleções que lutarão por quatro vagas diretas e uma possível quinta numa repescagem com países de outros continentes.


03_MVG_ESP_ROBINHO

Uma Seleção sem alma. Está certo que o técnico Dunga perdeu, por lesão, jogadores titulares – Danilo, Luiz Gustavo, Marcelo e Oscar – antes da Copa América. Neymar também acabou suspenso. Messo assim, é inexplicável o quanto o Brasil conseguiu ser apático na competição.

O time fez até um bom primeiro tempo contra o Paraguai, na gelada noite de sábado, em Concepción, pelas quartas de final do torneio sul-americano. Porém, se afundou no segundo. O 1 a 1 do placar, gols de Robinho e González, levou a disputa da vaga para a semifinal para os pênaltis.

E o que aconteceu? Éverton Ribeiro e Douglas Costa desperdiçam suas cobranças e, como na edição 2011, os paraguaios eliminaram (4 a 3) a Seleção. A torcida rival comemorou com gritos de “Ih, fuera, Ih fuera”!

Paraguai e Argentina se enfrentam na terça-feira, também em Concepción, para chegar à final da Copa América.

O jogo


Brasil vence Venezuela
(Foto: AFP)

Após a derrota para a Colômbia, a Seleção Brasileira entrou em campo pressionada diante da Venezuela. O time tinha a obrigação de somar pelo menos um ponto para seguir vivo na competição.

Aos oito minutos do primeiro tempo, no entanto, a pressão começou a ser controlada. Após cobrança de escanteio de Robinho, que teve a missão de substituir o suspenso Neymar, o zagueiro Thiago Silva chutou firme e abriu o placar para o Brasil.

Thiago, assim como Robinho, também ganhou espaço no time na partida contra os venezuelanos. Com o gol, o Brasil passou a dominar a posse de bola e a partida.